Uma miríade de ideias.
Navegação

Você também pode navegar através do teclado:

:Próximo post
: Post anterior

No Twitter

155-7yymsdk

CONCEITO PSICOLÓGICO E MOTIVO DA ESCOLHA.

A ideia da escolha do tema está baseada no que implícita o mito de que as crianças  superdotadas , são aquelas vistas como populares, bem ajustadas, esbanjando saúde física e psicológica. Na avaliação de psicólogo diz que o desenvolvimento de capacidade desta criança é superintendente  mas que precisa ser tratada como uma criança normal sem preconceito.

GARDNER E AS INTELIGÊNCIAS MÚLTIPLAS

Para Howard Gardner a inteligência é composta de diversas ramificações. O superdotado é aquele indivíduo que manifesta simultaneamente mas em destaque especial uma dessas inteligências, contudo, muitas vezes falha em outras.

GARDNER. Howard. Inteligência: um conceito reformulado. Rio de Janeiro: Objetiva, 2000.

AS INTELIGÊNCIAS SEGUNDO GARDNER

int

RENZULLI E OS TRÊS ANÉIS

Para Joseph Renzulli as altas habilidades são definidas como “(…)manifestações do desempenho humano que podem ser desenvolvidos em certas pessoas, em determinados momentos e sob determinadas circunstâncias”.

RENZULLI,J.S Technical report of research studies related to the enrichment triad/revolving door model. 3ª Ed. Storrs, CT: University of Connecticut, Teaching the Talented Program, 1988.P.20

OS TRÊS ANÉIS SEGUNDO RENZULLI

3r

INDICAÇÃO DE FILME : UMA MENTE BRILHANTE

Sinopse: https://pt.wikipedia.org/wiki/Uma_Mente_Brilhante_(filme)

O filme conta a história real de John Nash que, aos 21 anos, formulou um teorema que provou sua genialidade. A ambição saudável de sua mente privilegiada lhe impôs a carga de uma terrível doença que o devastava. Diagnosticado como esquizofrênico pelos médicos, Nash enfrentou batalhas em sua vida pessoal, e após várias internações, ele precisará usar de toda a sua racionalidade para distinguir o real do imaginário e voltar a ter uma vida normal assim como seus amigos… Brilhante, Nash chegou a ganhar o  Prêmio de Ciências Econômicas em Memória de Alfred Nobel em 1994

INDICAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO: “ALTAS HABILIDADES/SUPERDOTAÇÃO: ENTRE TERMOS E LINGUAGENS”

Link: https://periodicos.ufsm.br/index.php/educacaoespecial/article/view/3056

Este artigo trata da discussão contundente na área das altas habilidades/ superdotação acerca da utilização de nomenclaturas ou termos para denominar a população com as características de capacidade superior, assim como linguagens usadas por alguns autores e documentos legais educacionais pertinentes conflitam com os propósitos de atendimento equânime à essa parcela de educandos

INDICAÇÃO DA MÚSICA: RABBIT IN YOUR HEADLIGHT, UNKLE

UNKLE – Rabbit in Your Headlights from Onur Akdeniz on Vimeo.

A música trata da maneira como as pessoas superdotadas veem as  coisas: Muitas vezes com confusão e em câmera lenta. A  superdotação tem haver exatamente com a premissa de uma maneira fora dos padrões ou extravagante de interpretar determinados estímulos, o que é o assunto da música, uma interpretação não óbvia da realidade e de acordo com maneirismos peculiares. Dois trechos são importantíssimos na música: O próprio título da música que trata de ser “Um coelho em seus faróis” pois demonstra o medo e a confusão daqueles que possuem qualquer diferença dos demais; O fim da música que trata de “Fazer sua paz e então os demônios se transformam em anjos”. Esta visão só é possível através de trabalho árduo e da intervenção de pais e Escola empenhados em prover o máximo ao potencial daquele estudante (em todos os segmentos).

O videoclipe da canção é tão impactante quanto a própria letra pois traz um indivíduo que sem motivo encontra-se em túnel em um mundo próprio, com uma agenda própria e peculiar, onde é atropelado diversas vezes, o que pode ser uma alusão às diversas maneiras que as situações sociais colocam o indivíduo considerado “diferente”, enquanto isso alguns transeuntes observam-no sem nada fazer seguindo as convenções sociais. Em algum momento na metade do clipe há a tentativa de incluí-lo nas conformidades sociais onde um determinado grupo de jovens tentam comunicar-se com este indivíduo de maneira ineficiente e frustrada. A série de situações de atropelamentos e agenda própria aumentam, debilitando-o, contudo, não incapacitando-o. Em determinado momento, quando ele despe-se das suas roupas e convenções (conveniências) sociais, consegue ouvir mais de si até que sua interação com o resto do universo que o cerca torna-o imune, trazendo o final improvável em que este indivíduo deixa de ser vítima dos danos e imune às questões que o atormentavam.

CONCLUSÃO

Observando a importância e transportando considerações as habilidades individuais dos sujeitos estudados devem ter a finalidade de alertar pais e professores, para a busca de providências mais adequadas com propósito de auxiliar e alcançar o desenvolvimento de uma criança, reafirmamos a abordagem desta temática apresentada.

O preconceito e ignorância é persistente a respeito do assunto, a falta de informação e capacitação dos profissionais da educação estão defasados além de grande parte dos especialistas mais antigos na profissão, não discutiram esse assunto nos bancos acadêmicos. Mesmo o Ministério da Educação – (MEC), reconhecendo a necessidade de progredir e criando os Núcleos de Atividades de Altas Habilidades/ Superdotação – (NAAH/S), no ano de 2005, muitos funcionam precariamente ou estão desativados.

O autor américa Joseph Renzulli apresenta a Superdotação como sendo uma confluência de três fatores representada como anéis interligados: uma habilidade alta, envolvimento com a tarefa e a criatividade, viabilizando a importância do trabalho docente e familiar para equilíbrio destas interfaces onde o sujeito possa se desenvolver e na vida adulta até contribuir para a sociedade.

Levar o indivíduo à compreensão da sua habilidade e dispor ferramentas para o desenvolvimento deste por intermediações de profissionais ampliará sua percepção e auto estima em ambientes sociais, afastando qualquer bloqueio ou regresso do potencial existente, proporcionando equilíbrio para possível pejoração que este possa enfrentar diante de uma sociedade imatura e mistificada por conceitos já ultrapassados.

REFERÊNCIAS:

http://www.scielo.br/pdf/pe/v12n2/v12n2a18.pdf

http://amenteemaravilhosa.com.br/aprendemos-uma-mente-brilhante/

CONTRIBUIÍRAM PARA ESTE TRABALHO:

Ana Paula Gonzales- Pedagogia

Caroline Miranda-Pedagogia

Cintia de Souza-Pedagogia

Rosely Cavalcante- Pedagogia

Simone Moreno – Pedagogia